Tecnologia de produção de sementes ajudará países africanos

 

03/11/2010 - O fortalecimento da agricultura e o aumento da produtividade dos cultivos começa na qualidade das sementes e das mudas. Foi o que avaliou o gerente geral da Embrapa Transferência de Tecnologia, Ronaldo Andrade, durante o encerramento do Curso Internacional de Tecnologia e Produção de Sementes, promovido pela Unidade em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), de 25 a 29 de outubro em Brasília/DF.
 
O evento integra o programa Diálogo África Brasil para Segurança Alimentar e contou com a participação de 23 representantes de 14 países africanos. O representante do Ministério da Agricultura de Angola e integrante do Centro de Pesquisa do Amboim, Samuel Barata, espera que as informações do curso ajudem no aperfeiçoamento da produção de sementes em seu país, favorecendo especialmente os agricultores familiares.
 
“Ainda temos muito o que avançar nessa área e a experiência do Brasil é um exemplo a seguir porque aqui há um casamento adequado entre pesquisa e transferência de tecnologia”, argumenta. Barata lembra que desde 2007 institutos de pesquisa agrícola angolanos vêm mantendo intercâmbio técnico com a Embrapa.
 
O chefe adjunto de Estudos Estratégicos, Elísio Contini, lembrou que a troca de conhecimentos relativos à produção de sementes e mudas pode resultar num salto de qualidade e quantidade na produção de alimentos nos países africanos. “O cuidado com a qualidade da semente pode significar um ganho imediato de 20 a 50% de produtividade”, ressaltou.
 
Curso – Na primeira parte do treinamento os participantes puderem trocar informações sobre os alicerces da produção de sementes, como recursos genéticos, melhoramento vegetal e lançamento de variedades. Em seguida, o tema central foi a organização do sistema de produção de sementes.
 
Na etapa voltada à tecnologia de sementes e técnicas de produção, além de visita a campo de produção, os participantes acompanharam palestras sobre formação, desenvolvimento e maturação de sementes, técnicas de secagem beneficiamento e armazenamento bem como controle de qualidade.
 
Informações relacionadas a negócios como a elaboração de contratos e de planos de Marketing também constaram da programação, conforme informou o coordenador do curso, pesquisador da Gerência de Sementes e Mudas, Hugo Villas Boas. Segundo avalia, há ainda entre os países africanos uma carência no que ser refere à produção de sementes e o intercâmbio com a Embrapa poderá alavancar o processo, resultando numa maior oferta de alimentos.
 
Ao final do treinamento, a representante da Argélia, Rachida Issolah, destacada para falar pelo grupo, fez questão de ressaltar também a importância do intercâmbio do ponto de vista cultural.“Descobrimos um país e uma cultura!”, disse Issolah, uma das oito mulheres que integrou o grupo.
 
Jornalista Valéria Costa – MTb. 15533/59/32 - SP
Embrapa Transferência de Tecnologia
Contato: 61 3448.4510 valeria.costa@embrapa.br